Você me sufocava nas horas erradas, não me ligava quando eu precisava e não estava presente quando todos os outros estavam ausentes.

Eu poderia passar horas listando cada um dos seus defeitos. Mas, por muito tempo, preferi me apegar às suas qualidades, me autoboicotando a cada dia, com uma lembrança seletiva só do que foi bom entre nós dois. Sempre tive consciência de que nosso maior problema foi você estar em busca de uma diversão para as horas vagas enquanto eu já estava pronta para assumir um relacionamento de verdade.

Eu tinha pressa em viver uma história de amor – dessas de cinema – enquanto você ainda tinha o mundo inteiro pela frente para descobrir. Entramos no clichê das pessoas certas na hora errada. Mas eu, que nunca me apeguei muito aos clichês, sempre soube que outras pessoas certas costumam aparecer nas horas certas. E foi assim meu amor, que eu descobri que já não amava mais você.

Então eu fui embora. Só que você sabia que mesmo longe, eu estava disposta a voltar quando você estivesse pronto. E doeu bastante ver você pronto para viver um relacionamento não mais comigo, mas com outra pessoa. Eu ainda estava ali, sabe? Era só você ter me avisado. E depois de tanta dor e perguntas sem respostas, eu descobri que já não amava mais você, meu amor.

Tudo em nosso relacionamento era sobre você e o amor que eu tinha por você. Sua entrada na minha vida foi mágica, triunfal. Buquê de flores, surpresas, conversas sem fim. Mas todos os outros meses, até o dia em que você decidiu que havia chegado a hora de não ser eu mais a sua namorada, nosso amor era baseado em apenas eu te fazer feliz. Te fazer feliz me fazia feliz, e por causa disso, eu me esqueci de perceber que você não fazia questão de me fazer feliz.

E foi nessa loucura, entre tantas repetições pela felicidade, que me cansei de tanto me preocupar pela sua, enquanto ninguém se importava com a minha.

Por tudo isso e muito mais, eu já não amo mais você, meu amor.

– Priscila Ribas

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA