O amor é simples como um toque de mãos, uma troca de sorrisos, um pedido de desculpa. Descomplique, para amar basta querer o bem. Porque o amor não obedece regras, nem ordem cronológica. Ele acontece desde sempre, pra sempre, hoje e ontem, enquanto dure. O amor não vem com metas, nem com condições. O amor não mede distância. Enquanto a base for o respeito e a cumplicidade, ele pode tomar a forma que você quiser e ir mais longe do que qualquer pessoa um dia imaginou.

O amor não tem nada a ver com mágoa, nem com medo. Não é insegurança, nem meio termo. O amor é entrega. Mas não é só doar, ou só receber, amor é troca. É cuidar de quem cuida de você. E acima de tudo é aquele sentimento que você sente por outra pessoa sem esquecer de si mesma. O amor acontece quando você encontra alguém que faz você se amar muito mais e te transforma no melhor que você pode ser.

Não é depois, é agora, é todo dia. É sol, é mar, é um abraço quente em uma noite de inverno. É dividir o guarda chuva, mesmo que os dois estejam se molhando. O amor não tem pausa, ele é rotina. O amor sou eu e você, e o nosso olhar, o nosso sorriso. A nossa forma de demonstrar carinho e também as nossas brigas, quando mesmo discordando, queremos logo nos acertar. O amor mora em uma casa grande, ou em um apartamento pequeno. E ele está presente nas declarações públicas e também naquele bilhetinho que você escreveu à mão só pra mim. O amor não segue roteiro, ele flui naturalmente, como as nossas conversas e a gargalhada que escapa quando estamos juntos. O amor não precisa de muito, ele só precisa de nós dois.

Nem sempre o amor é fácil, mas ele é simples todo o tempo. Basta querer conjugar o verbo amar.

– Milene da Mata

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA