Se você estiver entre os usuários comuns das redes sociais, é normal visitar vários sites para conhecer as novidades, interagir com os amigos e deixar o mundo saber o que está acontecendo na sua vida. Embora isso possa parecer divertido, essas comunidades não geram só experiências positivas. Na verdade, sua autoestima pode se deteriorar toda vez que você acessa um desses serviços. Um estudo do ano passado do Medical College da Universidade de Pittsburgh, EUA, fez uma descoberta preocupante sobre esta questão…
Uma equipe de pesquisadores observou o comportamento on-line de quase 2.000 “millennials” nos Estados Unidos. Os jovens que usam redes de maneira mais usual são 2,7 vezes mais propensos a sofrer algum tipo de depressão. No artigo de hoje detalhamos as ações que denotam atividade neurótica e insegura nas redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter, etc.

1. Muitas Selfies

A moda das selfies começou há alguns anos e, embora elementos como o famoso pau de selfie já não sejam tão usados, a verdade é que a selfie é uma realidade do nosso tempo. A situação fica em um nível perigoso quando um indivíduo publica uma ou várias fotos próprias em um site específico diariamente. Se as também são bastante parecidas, não é difícil deduzir que o assunto em questão seja um problema de autoconfiança.

2. Indiretas

Este é outro fator que a maioria dos usuários já utilizou. É sobre as mensagens ou até mesmo “dicas” que deixamos em público, mas que são, na verdade, dirigidas a um conhecido em particular, sem mencioná-lo ou deixar claro o que você quer dizer. Uma ação bastante infantil que demonstra a incapacidade de enfrentar um problema interpessoal. Um isolamento da realidade que tem uma pequena fuga nas dicas, mas isso só causa mais mal-entendidos…

3. Modinhas

Uma grande parte das patologias relacionadas à personalidade, é o desejo de aceitação do grupo, sem pensar nas possíveis consequências. É por isso que muitas pessoas começam a participar dos desafios e das modas engraçadas que aparecem ao longo do ano. O pior é que alguns deles podem representar um perigo para a integridade física ou emocional da pessoa que se submete a eles. Se você se sacrifica por gostar de outros, você está propenso a ser uma pessoa depressiva…

4. Milhares de conhecidos

Pouco a pouco, o conceito de “amizade” nas redes sociais tem sido distorcido, tanto que hoje em dia é mais normal falar de “seguidores”, eliminando todos os tipos de contato interpessoal reais. Quantidades ridículas de milhares de “amigos” que você não pode contar para nada, que só foram “colecionando” ao longo do tempo, e que simplesmente valem só como um número. Afinal, os entes queridos se contam com os dedos das mãos…

5. Publicar quase tudo

Para uma grande parte da população parece normal publicar diariamente o que estamos fazendo em nossa rotina, bem como explicar os eventos que vamos ou os objetivos que alcançamos. Não há nada de errado em querer ter uma boa lembrança de um momento feliz, mas se você está mais preocupado em mostrar isso às pessoas que te “assistem” todos os dias, você provavelmente não está se divertindo tanto quanto você aparenta. Seja natural e tente aproveitar o momento…

6. Ostentação

Ostentar é algo que celebridades ou anônimos gostam de fazer. Seja com a intenção de influenciar os seguidores ou não, muitas vezes a realidade quase sempre denota baixa autoestima. As pessoas que pensam que são melhores por possuir objetos materiais mais caros provavelmente não têm muito mais a oferecer dentro de si. O mundo do consumismo em que estamos afundados parece nos dizer que quanto mais ricos somos, melhor estamos e somos, mas está longe de ser realidade…
Afinal, encenar tudo o que faz em sua vida reflete que você realmente não está vivendo 100%, pelo contrário, você está mais focado no que os outros pensam. Um estado mental bastante doente em que fazer uma linda foto do que você vai comer no almoço supõe uma maior satisfação do que o sabor que isso pode ter. Realmente vale a pena se fechar em uma “vitrine”?

7. Likes próprios

Há poucas coisas mais divertidas e egocêntricas do que curtir sua própria publicação. Caso não fosse claro que você só publica algo que lhe agrada, você deixa claro ainda mais com essa ação peculiar. Chegamos ao fim da nossa lista! Esperamos que esse texto tenha feito você pensar ou, pelo menos, te entretido. O que você acha?

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA