Ela tem manias, várias delas, mas não é muito de admiti-las – acho melhor até falarmos baixinho, ela parece ter ouvidos espalhados por aí. Feminina, delicada e munida de um olhar belo e equilibrado sobre o mundo. Ela pode sentar em um restaurante, beber o que vier à mente com toda a sua elegância, mas caso, às pressas, alguém a peça para dirigir um caminhão… tudo bem, vamos lá! Ela consegue mesclar como poucas feminilidade e atitude.

Elegante, mulher de poucos excessos; na vida e nas roupas. Sempre leve, tranquila e valseando seu charme por aí. Tem um beijo doce, daqueles que arrepiam e nos transportam para outra dimensão. Pode não parecer, mas muitas vezes ela pode ser perigosíssima, pois carrega consigo um poder incrível de, com o seu jeito meigo, impor as suas vontades; e é sempre tão difícil negar…

Mulher meio-termo; metade amor, outra metade harmonia. Adora o silêncio, e muitas vezes brinca de ser introvertida, mas quando o mundo implora pelo seu lado social, saiam debaixo. Ela gosta de falar, e quando tem uma oportunidade de discutir, os olhos brilham, cantam; calma, ainda nem comecei… E mesmo quando nervosa, transparece uma calma receptiva, odeia confusões, e, se possível, se distancia delas. Ela é uma amizade teimosa, sincera até demais, fala como se pudesse dizer tudo, mas “não foi isso que eu quis dizer”.

Honestamente? Ela é demais! E todos sabem disso, mas, volta e meia insiste em não admitir a sua indecisão. Mas, tudo bem, a gente finge que acredita e continua a amando mesmo assim…

 

-F.E

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA